Empregados/as da Ebserh/HUJM rejeitam nova proposta e impasse segue

A direção da Ebserh também foi criticada por tentar interferir no processo de decisão dos empregados/as numa atitude considerada prática antissindical 

Em assembleia extraordinária realizada hoje, 21, pela plataforma Zoom, empregados e empregadas da Ebserh/HUJM, rejeitaram a contraproposta apresentada pela direção da empresa em fevereiro deste ano. Foram 118 votos contrários e 36 a favor. A categoria em todo país tem até o dia 23 para definir a proposição e a resposta da maioria será apresentada à empresa na sexta-feira, 25, pela Fenadsef, junto com uma contraproposta dos empregados/as que lutam pela manutenção de todas as cláusulas contidas no atual ACT da categoria além de reajuste linear. A tendência é que a maioria das entidades sindicais sigam o mesmo caminho de negação à proposta.

O novo estudo da Ebserh desagradou a maioria pois continha índices diferenciados como reajuste de 20% para os ocupantes dos cargos de Assistente Administrativo e Técnico (todas as especialidades) e de 13% para os demais cargos sobre a tabela salarial vigente, a ser aplicado a partir de março/2022, sem retroatividade. 

Também foi rechaçada a mudança da base de cálculo do adicional de insalubridade, do salário-base para o salário mínimo, a partir de março/2022, com destinação de 100% dos recursos oriundos dessa mudança para a implementação de Parcela Fixa de Natureza Indenizatória (PFNI), não reajustável, para os empregados que terão a base de cálculo alterada, ou seja, para os empregados admitidos até 31 de julho de 2019 e que recebem o adicional de insalubridade sobre o salário-base.

Antes dos participantes tirarem dúvidas a respeito da nova proposta, que foi massificada pela direção da empresa através dos grupos das redes sociais e criticada pelos dirigentes sindicais, foi apresentado vídeo explicativo produzido pelo advogado e assessor jurídico da Condsef/Fenadsef, Valmir Floriano, que comentou os itens prejudiciais aos trabalhadores/as. Participaram da assembleia que foi conduzida pelo presidente do Sindsep-MT, Carlos Alberto de Almeida, demais diretores  e o secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva.